jusbrasil.com.br
10 de Dezembro de 2018
    Adicione tópicos

    Argentina pede que EUA incluam atentado de 1994 em conversas nucleares com Irã

    Reuters Brasil
    Publicado por Reuters Brasil
    há 4 anos

    Por Hugh Bronstein

    BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina quer que os Estados Unidos ajudem o país a desvendar o atentado a bomba de 1994, no centro de um atual escândalo político, incluindo o crime nas conversas nucleares dos EUA com o Irã, disse o ministro argentino das Relações Exteriores nesta terça-feira.

    Tribunais argentinos acusaram um grupo de iranianos de planejar o ataque contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), que matou 85 pessoas.

    O crime não solucionado é o pano de fundo para a morte, em 18 de janeiro, do promotor que liderava a investigação sobre a Amia, um mistério que deteriorou a confiança no sistema argentino de justiça e causou turbulências no governo.

    O ministro das Relações Exteriores, Hector Timerman, divulgou uma carta ao Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, na qual diz que a Argentina já fez o pedido anteriormente.

    "Peço novamente que a questão sobre a Amia seja inclusa nas negociações com a República Islâmica do Irã", disse ele.

    Dias antes de ser encontrado morto a tiros, Alberto Nisman havia acusado a presidente Cristina Kirschner de conspirar com o Irã para encobrir o crime para assim fechar um acordo de grãos por petróleo.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)